segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Ghosts


"Claro que não acredito em fantasmas!"
Ela afirma-o com a mesma certeza de sempre
chega mesmo a dar um risinho, encolhe os ombros e revira os braços
arremata com um
"Que disparate! Fantasmas..."
À noite no seu quarto a certeza deixa de estar de um lado
passa para o outro
sente aquelas presenças ali ao seu lado
por vezes chega mesmo a vê-las na sua indefinição
treme por dentro e esconde-se debaixo dos lençóis
Desde criança que convive com estas visitas
Que as sente. Que treme. Que receia.
Ultimamente deixou de pensar que era invenção sua
partidas pregadas pela sua imaginação
o seu gato pressentiu-os também
e quase que rosnava como se um cão fosse
ela limitava-se a repetir para si mesma
"Não tenhas medo! Não tenhas medo!"
O cansaço venceu-a mais uma vez e com ou sem companhia
deixou-se adormecer
De manhã ao acordar olha para o bicho
ambos trocam olhares cúmplices
À tarde ela volta a encolher os ombros
a risada desta vez mais forte
e a afirmação
"Claro que não acredito em fantasmas! Que disparate!"
e a esperança de nessa noite ter a casa menos povoada.

Fotografia: Sleeping with ghosts by muratsuyur
in http://muratsuyur.deviantart.com/
(Todos os Direitos reservados)

3 comentários:

deKruella disse...

Diz-lhe a ela que eles...não fazem mal ;)

pp disse...

Nem tudo que não tem presença fisica, é mau.
Nunca vi, não vejo, nem sinto mas se tivesse que ver, se não fosse pedir mto gostaria de ver o meu cota....:)

BZT tranquila....

Sandrine disse...

Kru: quando a vir assim o farei! ;)

PP: Ora aí está alguém que gostaria de ter conhecido... quiçá um dia...
beijo