quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Violências...


Pára!
diz ela com uma voz que já nem conhece
As tuas palavras ferem-me
e as tuas mãos maltratam-me
Pára!
pede ela mas sem o enfrentar
Não me trates como se não existisse
não me digas o que pensar
não me olhes como se eu fosse menos
Pára!
diz ela já a fraquejar
As forças faltam-me já para lutar
e nem sei se te posso continuar a perdoar
Pára!
suplica ela já a chorar
... não sei se consigo continuar a calar


Pára!
pede ela já só com o olhar
ele não parou
e o dia seguinte não chegou para ela...
para ela o perdoar!


Fotografia: No exit by Lucem
in http://lucem.deviantart.com/
(Todos os Direitos reservados)

3 comentários:

deKruella disse...

Há pessoas que esperam até ao dia seguinte...e não vêem que nesse dia pode ja ser tarde demais!

Sandrine disse...

É pena mas é verdade! Mas a violência vai sendo gradual e tal como uma aranha o predador vai tecendo uma teia em redor da vitima até a conseguir deixar tão indefesa, dependente e isolada que... mesmo que quisessem falar muitas vezes já não têm mesmo a quem.

Miss Precious disse...

Violência. Aquilo a que vou recorrer se alguém continuar a baldar-se aos almoços com pessoas decentes...