quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Holding hands


Não foi por maldade, aconteceu.
De mansinho estiquei-te a mão
ainda mais devagarinho a apertei
Com a languidez das horas que derretem
vou também eu me sentindo a derreter
e já nem sei se foste tu
e já nem sei se fui eu
Só sei que algum de nós deixou de apertar
que as mãos deixaram de se tocar
e de mansinho deixámos de acreditar.


Fotografia: Holding hands by Amanda
(Todos os Direitos reservados)

3 comentários:

pp disse...

ès as palavras que escreves sempre que escreves elas fazem parte de ti.

bj

Miss Precious disse...

Mesmo com as mãos dadas, podemos estar a quilómetros de distância.

Chapas disse...

Nem sempre se sente a mão a segurar.....ou a apertar, a dizer que está ali....mas está para o que seja preciso!
como diria esse maluco do Abrunhosa...(que me irrita estupidamente) é preciso ter calma....não dar o corpo pela alma....