sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Olha-me!


"Não me desgastes os ossos" - dizia ela com os olhos cravados no chão como se lá estivessem de facto as suas raízes
"Não tentes à força criar lume com eles. De tanto os bateres um contra o outro já mal me consigo aguentar de pé e não estamos mais quentes por isso
"Não me desgastes a pele" - suplicou ela a olhar para o céu como se a continuidade da sua vida disso dependesse
"Não tentes à força puxares-me. De tanto a esticares as estrias já são crateras por onde todo o meu interior ameaça fugir
"Não me desgastes os cabelos" - balbuciava ela de olhos semicerrados como quem já não aguenta mais os ter aberto
"Não tentes à força agarrar-me. De tanto te agarrares a eles já definham nas tuas mãos
"Arranca-me antes os olhos" - afirmou ela com o seu olhar fixo no dele
"Só assim poderás não mais ver a minha dor!".


Fotografia: Angel by Yuri Bonder
(Todos os Direitos reservados)

1 comentário:

Miss Precious disse...

Ai, mulher, este ficou particularmente sofrido.